Banner do Governo

Militar que matou italiano deixa presídio para realizar tratamento médico

Por Tnh1 em 23/01/2023 às 21:57:34

Foto: Reprodução/TV Pajuçara

A Justiça Alagoana concedeu ao policial militar reformado José Pereira da Costa, que matou a tiros o empresário italiano Fabio Campagnola, na Praia do Francês, em Marechal Deodoro, uma autorização para deixar o presídio militar e fazer um tratamento médico, em decorrência de um tumor neuroendócrino. O subtenente Pereira, como é conhecido, está preso desde o última dia 05 de janeiro no presídio da Polícia Militar. Ele se apresentou à polícia dois dias após cometer o crime.

Ainda segundo a decisão da Juíza Fabíola Melo Feijão, da 1ª Vara Cível e Criminal/Inf. e Juventude de Marechal Deodoro, José Pereira terá escolta militar durante as saídas do sistema prisional.

"Ante o exposto, DEFIRO o pedido do réu JOSÉ PEREIRA COSTA, autorizando o mesmo a realizar o tratamento médico fora do estabelecimento penal, devendo ser comunicado com antecedência à direção do estabelecimento prisional para autorização e escolta devidas"

Em entrevista ao TNH1, o advogado Napoleão Júnior, que está à frente da defesa do PM, disse que o pedido foi encaminhado à justiça devido ao estado de Saúde de José Pereira.

"Ele precisava fazer alguns exames fora do presídio, pois o PM faz tratamento médico em decorrência de um tumor estomacal. Encaminhamos o pedido à juíza, ela analisou o pedido e autorizou. Ele poderá fazer os exames, obviamente sob escolta policial", disse o advogado.

O caso - O assassinato, em plena luz do dia de Fabio Campagnola, na Praia do Francês, mobilizou equipes da Polícia Civil e também militar no dia 3 de janeiro de 2023. Câmeras de segurança registraram o momento dos disparos e da briga entre Campagnola e o policial militar da reserva na frente do estabelecimento comercial, do qual, a vítima era dona.

A polícia foi informada que o policial e a companheira, a primeira a ser presa, queriam colocar um carrinho de churros na porta da sorveteria do italiano, o que não foi permitido pelo proprietário.

Após dois dias foragido, José Pereira da Costa se apresentou à polícia e teve a prisão decretada pela Justiça. O casal segue recluso e aguarda o andamento do inquérito.

Comunicar erro

Comentários