SP: artistas protestam contra fechamento de oficinas culturais

A comunidade artística faz um ato neste sábado contra o fechamento das oficinas culturais na cidade de São Paulo.

Foto: Agência Brasil - EBC

Foto: Agência Brasil - EBC

A comunidade artística faz um ato neste sábado contra o fechamento das oficinas culturais na cidade de São Paulo.

O protesto acontece nas três oficinas culturais que estão em risco de fecharem as portas na capital paulista. A Oswald de Andrade, no bairro do Bom Retiro, a Alfredo Volpi, em Itaquera, na zona leste da cidade e a Juan Serrano, no bairro da Brasilândia, na região norte de São Paulo.

Iniciado em 1986, o programa oficinas culturais oferece, através da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, atividades gratuitas como espetáculos de teatro e dança, exposições e saraus.

Desde 2012, a gestão do programa é feita pela organização social Poesis. A entidade tem contrato até 30 de abril deste ano para a gestão do programa. Não foi anunciada, no entanto, uma nova licitação para a administração desses espaços.

No protesto deste sábado, trabalhadores da cultura reivindicam a extinção do decreto que anunciou, em março deste ano, o fim do programa.

No mês passado, a classe artística já havia se mobilizado contra o risco de encerramento do programa e fechamento dos locais físicos onde estão os centros culturais, em um ato nas escadarias do Teatro Municipal.

A comunidade artística faz um ato neste sábado contra o fechamento das oficinas culturais na cidade de São Paulo.

O protesto acontece nas três oficinas culturais que estão em risco de fecharem as portas na capital paulista. A Oswald de Andrade, no bairro do Bom Retiro, a Alfredo Volpi, em Itaquera, na zona leste da cidade e a Juan Serrano, no bairro da Brasilândia, na região norte de São Paulo.

Iniciado em 1986, o programa oficinas culturais oferece, através da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, atividades gratuitas como espetáculos de teatro e dança, exposições e saraus.

Desde 2012, a gestão do programa é feita pela organização social Poesis. A entidade tem contrato até 30 de abril deste ano para a gestão do programa. Não foi anunciada, no entanto, uma nova licitação para a administração desses espaços.

No protesto deste sábado, trabalhadores da cultura reivindicam a extinção do decreto que anunciou, em março deste ano, o fim do programa.

No mês passado, a classe artística já havia se mobilizado contra o risco de encerramento do programa e fechamento dos locais físicos onde estão os centros culturais, em um ato nas escadarias do Teatro Municipal.

A comunidade artística faz um ato neste sábado contra o fechamento das oficinas culturais na cidade de São Paulo.

O protesto acontece nas três oficinas culturais que estão em risco de fecharem as portas na capital paulista. A Oswald de Andrade, no bairro do Bom Retiro, a Alfredo Volpi, em Itaquera, na zona leste da cidade e a Juan Serrano, no bairro da Brasilândia, na região norte de São Paulo.

Iniciado em 1986, o programa oficinas culturais oferece, através da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, atividades gratuitas como espetáculos de teatro e dança, exposições e saraus.

Desde 2012, a gestão do programa é feita pela organização social Poesis. A entidade tem contrato até 30 de abril deste ano para a gestão do programa. Não foi anunciada, no entanto, uma nova licitação para a administração desses espaços.

No protesto deste sábado, trabalhadores da cultura reivindicam a extinção do decreto que anunciou, em março deste ano, o fim do programa.

No mês passado, a classe artística já havia se mobilizado contra o risco de encerramento do programa e fechamento dos locais físicos onde estão os centros culturais, em um ato nas escadarias do Teatro Municipal.

Cultura São Paulo 13/04/2024 - 13:25 Paula de Castro Ribeiro / L Pedrosa Joana Cortes, repórter da Rádio Nacional oficinas culturais sábado, 13 Abril, 2024 - 13:25 1:22