13/04/2021 (82) 98122-3473

Polícia

Alagoas

Credor é assassinado por devedores em Olho d'Água das Flores

Por Redação 27/02/2021 às 10:41:11

Tudo que envolve dinheiro é delicado, mas alguns casos chegam ao extremo. Em Olho d'Água das Flores o dono de uma funerária foi assassinado pelo dono de um lava-jato e seu genro. Motivo? O dono da funerária estava cobrando a devolução do dinheiro aos devedores e eles se recusavam a pagar.

De acordo com o delegado Gustavo Xavier, da Divisão Especial de Investigações e Capturas, os acusados simularam um sequestro do dono da funerária, Gilmário Alencar, que foi torturado e morto por estrangulamento.

Familiares da vítima informaram que, na quarta-feira (24), ele havia se dirigido a um lava-jato em Olho d'Água das Flores para receber o dinheiro que havia emprestado ao proprietário (R$ 10 mil) e ao seu genro (R$ 8 mil). Ambos estavam se esquivando do pagamento, mas naquele dia haviam combinado com a vítima que fariam o acerto.

Gilmário teria chegado ao local e a trama criminosa iniciou com ele sendo rendido por um empregado do lava-jato que portava uma espingarda calibre 12. Ele foi torturado e morto dentro do estabelecimento. Para simular um sequestro, o dono do lava-jato conduziu a caminhonete de Gilmário, uma Hilux SW4, com o corpo dentro, até Arapiraca, sendo seguido por seu genro, que dirigia uma Fiorino. Eles pararam em um posto de combustíveis, transferiram o corpo para a Fiorino, abandonaram a caminhonete no local e voltaram para Olho d'Água das Flores.

No lava-jato, eles se juntaram a dois funcionários e foram até a zona rural da cidade, onde queiram o corpo da vítima em um tonel. Depois, um dos acusados entrou em contato com a família de Gilmário dizendo que ele havia sido sequestrado e exigindo dinheiro para libertá-lo.

As ligações foram rastreadas e o bando identificado. As provas foram reforçadas com as imagens das câmeras tanto do posto de combustíveis de Arapiraca quanto das ruas de Olho d'Água das Flores, que mostram Gilmário chegando ao lava-jato. O crime foi confessado pelos três acusados (o dono do lava-jato, o genro e um dos funcionários que ajudou na queima do corpo) que foram presos na sexta-feira (26). O funcionário do lava-jato que rendeu a vítima com a espingarda, cujo nome não foi revelado, morreu numa troca de tiros com policiais civis na sexta-feira (26).

Em poder do trio foram encontrados, além da espingarda calibre 12, um revólver do calibre 38.



Comunicar erro
Comentários