Banner do Governo

"Pensei que ia morrer", diz torcedor do CRB que teve carro depredado por integrantes de organizada

Família faz vaquinha para conseguir custear o conserto do veículo

Por Tnh1 em 23/01/2023 às 14:27:47

Francisco dos Santos, ou "Seu Francisco", como é conhecido, é um trabalhador que consegue o sustento da família através do transporte de lotação. Ele estava a serviço nesse domingo quando foi vítima de vândalos na Avenida Gustavo Paiva, em Mangabeiras, e teve o carro, uma Parati, destruído em meio à violência protagonizada por integrantes de uma torcida organizada do CSA. O motorista do veículo depredado deu detalhes ao TNH1 dos momentos de pânico que viveu, preso dentro do automóvel enquanto o veículo era alvo de pauladas e pedradas.

Aos 59 anos, o morador de Sauaçuí, no Litoral Norte de Maceió, disse que encarava mais um dia de trabalho, com clientes que iam para o Estádio Rei Pelé, para acompanhar o jogo entre CRB e Sergipe, pela Copa do Nordeste, mas teve a viagem interrompida depois de a avenida ter sido "invadida" pelos criminosos armados com paus, pedras e bombas. Assim como os passageiros, Seu Francisco também tem o futebol e o CRB como paixão, e por vestir a camisa do clube, foi hostilizado e agredido.


"Eu estava levando clientes para o Rei Pelé, para o jogo do CRB, e na ida, a gente foi surpreendido por eles. Aí foi um quebra-quebra, eu pensei que ia morrer, já estava me sentindo morto. Eu baixava minha cabeça, colocava o braço para proteger, mas foi difícil. Eles com pau, com pedra, quebrando o vidro, amassando meu carro todo", lamentou.

"Ainda estou pagando meu carro, e destruíram tudo. Está tudo quebrado, não tenho como usar ele dessa forma. Ainda não tenho como saber o valor do prejuízo, ainda vou na oficina. Mas estou impedido de trabalhar, de dar assistência para a minha família. Eu tenho um filho especial, é preciso levar ele para o médico, eu sempre dou esse apoio, e o carro era o meu apoio, minha família depende dele", continuou.

Comunicar erro

Comentários