Pai pede justiça por filha morta a facadas pelo ex em União dos Palmares

A sessão de julgamento do acusado acontecerá às 8h da próxima sexta-feira (25/11).

Por Br104 em 24/11/2022 às 00:53:54

Salome? morta a facadas em 2020, em Unia?o dos Palmares | © Reprodução

Familiares de Salomé Paulino da Silva, de 30 anos, morta após ser esfaqueada pelo ex-marido, identificado como Luiz Ferreira dos Santos, mototaxista conhecido como "Boneco", pedem justiça.

O caso aconteceu no conjunto Nova Esperança, em União dos Palmares, em junho de 2020. Segundo relatos, o acusado não se conformava com o fim do seu relacionamento. A filha da vítima, Samara, também foi atingida durante o crime, por tentar defender a própria mãe.

Segundo Samara, o ex-companheiro de sua mãe vivia fazendo ameaças, dizendo que, "a partir do momento que ela o deixa-se, ele a mataria". Ainda segundo os relatos da filha à reportagem do BR104, o homem era agressivo e batia em Salomé. "Ela me contou que ele batia nela, e que era muito agressivo. Ela tinha muito medo dele".

"Ela estava dormindo na minha casa, já fazia três dias, com medo dele. No sábado, a gente foi na casa dela, porque ela tinha uns animais, e foi colocar comida para eles. Quando a gente chegou lá, ela viu um vulto por trás de casa e pediu para que eu fosse olhar. Eu subi nas costas dela, e quando olhei, era ele armado", disse a filha da vítima.

Ainda de acordo com Samara, ao voltar para casa, ela reconheceu a moto do acusado e o capacete, mas não chegou a vê-lo. "Eu vi a moto e o capacete dele, mas não vi ele. Quando chegamos no calçamento, ele encostou a moto na padaria, tirou a faca da cintura e foi para cima dela", relatou.

O pai da vítima, Sr. Emanoel, que não sabia o que estava acontecendo, disse que sempre alertava a filha, e que ela era uma pessoa que toda a vizinhança gostava. "Ela era uma pessoa que todo mundo gostava. E todos pedem justiça", disse.

"Na segunda-feira, após o ocorrido, as pessoas vieram me avisar quem ele era. Eu pedi para que não me contassem mais nada, era para terem me dito antes. Agora, o que a gente pede é justiça, porque é a justiça que pode resolver esse caso"", disse o pai da vítima.

O caso seria julgado na próxima quinta-feira (24), mas devido à partida entre Brasil e Sérvia, na Copa do Mundo no Catar, a sessão de julgamento foi transferida para as 8h da sexta-feira (25/11). Os advogados Dr. Paulo Cavalcante e Drª. Mayara Pereira foram acionados pelos familiares da vítima para que a justiça fosse feita.

"Nós estamos como assistentes de acusação. A família da Salomé e Samara, que são as vítimas, nos constituiu, para que a gente possa ajudar a acusação a realmente fazer justiça", disse a Drª Mayara.

Para o advogado Paulo Cavalcante, que se inteirou do caso, o crime foi premeditado durante três dias. "Houve uma preparação para o crime. Ele foi muito frio, ele é gelo", disse o advogado ao relatar o caso.



Comunicar erro

Comentários