Mais de 1 milhão de alagoanos não tomaram a dose de reforço contra a Covid-19

Com a chegada de novas subvariantes, recomendação é que população procure os pontos de imunização

Por Gazetaweb em 20/11/2022 às 18:24:17

Vacinação da Covid-19

O aumento do número de casos da Covid-19, em especial na última semana, tem preocupado as autoridades de saúde em Alagoas e feito com que reforcem o chamamento para que as pessoas busquem completar o esquema vacinal contra a doença. Um dado alarmante do Plano Nacional de Imunizações (PNI), porém, mostra que essa convocação não tem surtido tanto efeito. No Estado, 1,1 milhão de pessoas não retornaram ao posto de imunização para receber a 1ª dose de reforço.

Os dados também mostram que, em todo o país, esse número chega a mais de 69 milhões de pessoas que deixaram de tomar a dose complementar. Em um momento em que a chegada de novas subvariantes, como a BQ.1, tem feito subir o número casos e de internações pela doença, é importante seguir a recomendação e procurar se imunizar. A adoção das outras medidas preventivas, como a higienização das mãos e evitar aglomerações também é indicada.

Chefe do Gabinete de Combate à Covid-19 da Sesau, o médico infectologista Renee Oliveira diz que o momento é de se cuidar e não de criar pânico. "As medidas preventivas, que são simples, estão disponibilizadas, bem como a vacina. É necessário manter o isolamento dos casos positivos ou sintomáticos, além de serem evitadas aglomerações e a intensificação da higienização das mãos, seja com água e sabão ou com álcool em gel a 70%. Então, cabe a cada cidadão se conscientizar e fazer a sua parte, porque todos nós somos os mais interessados no zelo com nossas vidas", ressaltou o especialista.

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos mostram que a estratégia de reforçar o calendário vacinal contra o coronavírus aumenta em mais de cinco vezes a proteção contra casos graves e óbitos pela Covid-19.

A primeira dose de reforço, recomendada para pessoas com mais de 12 anos de idade, deve ser aplicada quatro meses depois da segunda dose ou dose única. Já a segunda dose de reforço, até o momento, é recomendada pelo Ministério da Saúde para a população acima de 40 anos de idade e trabalhadores da saúde independentemente da idade. Em Maceió, o segundo reforço ou a 5ª dose, como muitos gostam de chamar, está sendo aplicada, atualmente, apenas em pessoas imunossuprimidas.

Em todo o Brasil, 32,8 milhões de pessoas poderiam ter recebido a segunda dose de reforço contra a doença, mas ainda não se vacinaram. Segundo o MS, os imunizantes estão disponíveis em mais de 38 mil postos de vacinação em todo Brasil.

Nos últimos dias, Alagoas viu o número de casos confirmados de Covid subir consideravelmente e muitas instituições de ensino, como a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por exemplo, recomendaram a retomada do uso de máscaras pelos estudantes e pelo corpo docente nos ambientes fechados ou com grande aglomeração.

Até o final dessa semana, Alagoas havia registrado pouco mais de 322 mil casos confirmados da doença, dos quais mais de 314 mil evoluíram para a cura. Em relação aos óbitos, o estado contabilizou, até a sexta-feira (18), um total de 7.134 mortes.

Comunicar erro

Comentários