Detentos denunciam tortura com tiros de bala de borracha em presídios

Casos foram registrados junto à OAB/AL e estão sendo apurados pelo ógão

Por Henrique Dias em 21/09/2022 às 21:44:36

Duas novas denúncias de tortura no sistema prisional do estado foram registradas junto a Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL). Os episódios, conforme os relatos de familiares e dos próprios detentos, ocorreram no Presídio Baldomero Cavalcanti de Oliveira e Silva, em Maceió, e no Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano.

O primeiro episódio envolve uma travesti, soropositiva, que está no Presídio Baldomero Cavalcanti. Segundo a denúncia, o diretor da unidade, José Alexsandro Luz da Silva, teria ordenado que um policial penal obrigasse a vítima a ficar de costas e desferisse dois disparos com balas de borracha em suas nádegas. Em seguida, a vítima teria sido transferida – ainda sangrando e sem receber os devidos cuidados – para uma ala como punição.

A segunda denúncia envolve um detento do Presídio do Agreste. Assim como o caso do Baldomero, ele foi atingido com um disparo de bala de borracha, em uma região muito próxima à bolsa de colostomia que faz uso, após ter passado a mão no rosto. O detento também não teria recebido os devidos cuidados e, então, teve complicações decorrentes da ação truculenta e desproporcional.

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos apura as novas denúncias e, após tomar conhecimento dos casos, membros da comissão se dirigiram aao sistema penitenciário em busca de mais informações e expediram ofícios para autoridades públicas, cobrando a apuração e o esclarecimento dos fatos.

Foram expedidos ofícios para o delegado-Geral da Polícia Civil, Gustavo Xavier; para a promotora Karla Padilha, do Ministério Público Estadual (MPE); e para o desembargador Celyrio Adamastor Tenório Accioly, supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário.

Fonte: Alagoas24horas

Comunicar erro

Comentários