14/04/2021 (82) 98122-3473

Economia

Alagoas

Salta aos olhos país conseguir vacinar animais e não pessoas, diz vice-presidente da Fiocruz

Por Henrique Dias 08/04/2021 às 18:30:34
Mario Moreira participou de audiência da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado Ao ouvir que o Brasil é autossuficiente na produção de vacinas para animais, o vice-presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Mario Santos Moreira, disse nesta quinta-feira que “salta aos olhos” a informação de que o país consegue “vacinar seu rebanho”, mas não a sua população.

“É uma coisa que nós precisamos mesmo discutir a fundo, entender por que isso acontece”, disse Moreira, para provocar a reflexão dos participantes da audiência pública virtual da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado.

Durante a audiência, o presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Delair Ângelo Bolis, disse que, no prazo máximo de 90 dias, o setor poderia ter condições de adaptar os laboratórios e iniciar a produção de insumos farmacêuticos ativos (IFAs) para vacinas contra covid-19.

Fiocruz

Divulgação/Fiocruz

Somente neste ano as plantas nacionais produzirão 400 milhões de doses contra a febre aftosa, sendo que 200 milhões já estão prontas para o início da vacinação dos animais em maio.

O vice-presidente da Fiocruz defende que é preciso buscar soluções separando o aspecto conjuntural, da tragédia sanitária, humana, social e que tem impactos econômicos, do contexto estrutural, que não tem relação com a pandemia.

“O Brasil chegou, há uns dez, quinze anos, a atingir a sua autossuficiência em vacina. Temos que ver por que perdemos essa condição”, afirmou Moreira.

Ele frisou que, na pandemia, o país já gastou entre R$ 25 bilhões e R$ 30 bilhões na compra de vacinas, o que considera necessário, porém defendeu que é preciso refletir se também está investindo para que a atual dependência de insumo seja reduzida.

De manhã, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, que também participou da audiência no Senado, disse que considera “factível” e “exequível” adequar fábricas de vacinas de uso veterinário para produzir imunizantes contra a covid-19.

Apesar da viabilidade da estratégia em estudo, seria necessário fazer investimentos para elevar o nível de segurança biológica. “Não é algo a ser descartado, pelo contrário”, comentou. Torres disse que tratou do assunto com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Fonte: Valor Invest

Comunicar erro
Comentários