24/08/2020 às 11h09min - Atualizada em 24/08/2020 às 11h09min

Após receber cerca de R$ 24 mil do Estado, vereador cobra dinheiro de famílias para terem água na seca

Redação
Polícia deve investigar cobranças ilegais de vereador
Policiais da recém-criada Divisão Especial de Combate à Corrupção (Deccor), da Polícia Civil de Alagoas (PC-AL), devem investigar as denúncias contra o vereador Cosme Damião Santos Silva (PSDB), de São José da Tapera, Sertão de Alagoas.

Em julho passado, ‘Cosme Guedes’, como auto se intitula, foi denunciado por um grupo de pequenos agricultores taperenses ao governador Renan Filho (MDB), durante uma solenidade no Canal do Sertão, onde estiveram presentes diversas autoridades, entre elas o prefeito do município José Antônio Cavalcante, deputados e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Ao governador foi entregue um farto relatório contendo fotos, vídeos e relatos de pequenos agricultores que afirmam que o vereador taperense condiciona a liberação de um trator pertencente ao Governo do Estado e cedido a Associação de Desenvolvimento da Juventude no Semiárido (ADEJUSA) – cujo presidente seria o próprio político – a troca por votos.
 
SAIBA MAIS   Renan Filho quer investigar vereador acusado de trocar trator do Estado por votos

‘Cosme Guedes’, ex-Progressista, hoje é filiado ao PSDB do senador Rodrigo Cunha e tem anunciado que é candidato a prefeito por Tapera.

Dias após as denúncias, técnicos da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (SEAGRI), estiveram em algumas localidades na Zona Rural do município, onde ouviram outros agricultores.

SAIBA MAIS   Vereador acusa colegas de esquema para nomear assessores e recebimento de propinas

Mas, as investigações dos técnicos os levaram a comprovar fatos ainda mais graves. Em 2016, ‘Cosme Guedes’, quando ocupava a função de coordenador estadual de Defesa Civil (CONDEC), se aproveitou do flagelo da seca que atingiu as famílias e que matou animais e deixou parte da população sem água e comida, para cobrar dinheiro das famílias moradoras nos sítios em troca de levar água em tanques, puxados por tratores, cedidos pelo Estado.

“As pessoas afirmam que ou pagavam ou não tinham direito a água. A história era que ele [Cosme Guedes] dizia que era ele quem estava conseguindo a água e precisava pagar o tratorista e o óleo do trator”, disse um dos técnicos que teve acesso as denúncias.

Essa nova denúncia estarreceu servidores da SEAGRI.

Conhecedor profundo dos problemas da seca no Sertão alagoano, o ex-secretário adjunto de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Edilson Ramos, que também é natural de São José da Tapera, confirmou a liberação dos recursos na época.

“Foram pagos ao Cosme R$ 23.364,45 [Vinte e três mil, trezentos e sessenta e quatro reais e quarenta e cinco centavos]. O Estado pagou. Ninguém poderia cobrar dessas famílias a água que eles tinham direito. Isso me deixa triste. As pessoas são humildes e sabe Deus o que fizeram para conseguir esse dinheiro. É cruel”, afirmou Edilson.

Todo o cronograma da liberação dos valores e pagos ao hoje vereador de São José da Tapera pelo Estado, conforme informou a assessoria da SEAGRI, estão expostos no Portal da Transparência, podendo ser acessada pelo link
http://transparencia.al.gov.br/despesa/liquidado/?ug=190049&codigo_favorecido=08747558407&natureza=333903609&data_inicial=01/01/2016&data_final=31/12/2020.

Conforme o Portal, em 24 de maio daquele ano, conforme Nota de Empenho Nº 2016NE00309, ‘Cosme Guedes’, recebeu R$ 4.349,70 (Quatro mil, trezentos e quarenta e nove reais e setenta centavos).

Num segundo pagamento, conforme a Nota de Empenho Nº 2016NE00688, o ex-coordenador CONDEC, recebeu R$ 5.305,50 (Cinco mil, trezentos e cinco reais e cinquenta centavos).

Na sequência, ‘Cosme Guedes’, recebeu R$ 5.487,75 (Cinco mil, quatrocentos e oitenta e sete reais e setenta e cinco centavos), conforme a Nota de Empenho Nº 2016NE00687.

Por último, em 30 de junho, como comprova a Nota de Empenho Nº 2016NE00770 (
http://transparencia.al.gov.br/despesa/liquidado/?ug=190049&codigo_favorecido=08747558407&natureza=333909265&data_inicial=&data_final=), o ex-coordenador da Defesa Civil recebeu mais R$ 8.221,50 (Oito mil, duzentos e vinte e um reais e cinquenta reais).

Todo o dinheiro foi para o pagamento do fornecimento de água potável as famílias atingidas pela seca na Zona Rural de São José da Tapera.

Afirmando ser bacharel em Administração e com pós-graduação em MBA, o vereador, “dono” de um português sofrível, tem divulgado em suas redes sociais ser vítima de seu suposto crescimento de popularidade.

Figura emblemática na política de Tapera, ‘Cosme Guedes’, que já foi assessor especial do prefeito Jarbas Ricardo, que foi preso no ano passado acusado de desviar R$ 5,4 milhões da prefeitura, já apoiou a eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e agora defende o presidente Jair Bolsonaro, se faz valer do uso de um crucifixo de madeira e vestes de “homem santo”.

Sua atuação na Câmara também é alvo de críticas. A própria secretaria da Casa oficializou a reportagem que nesses quase quatro anos de mandato ‘Cosme Guedes’ possui um número exíguo de projetos aprovados, muitos dos quais divergentes da verdadeira função de um vereador.
 



 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »