Estado

Página de humor no Instagram suspende publicações com Edson "dançarino" após denúncias de assédio

Os relatos, segundo os seguidores, são muitos e sempre aconteceram

Por Redação em 21/09/2023 às 16:06:00

Foto: reprodução/Instagram

Uma reviravolta na trajetória de Edson, também conhecido como o "dançarino", aconteceu nesta quarta-feira, 20 de setembro, quando uma página de humor no Instagram anunciou a suspensão de suas publicações envolvendo o personagem. O motivo por trás da decisão foi a série de denúncias de assédio sexual feitas por algumas de suas seguidoras. Antes desse episódio, Edson aparecia sempre em alguns "memes" que eram publicados pela página.

O relato da vítima

A jovem, que prefere não se identificar, compartilhou um relato de assédio ocorrido na última terça-feira, 19 de setembro, em um ônibus da capital, no trajeto Clima Bom/Trapiche. O incidente expôs uma experiência perturbadora que reforça a importância da segurança nos transportes públicos e o desafio enfrentado pelas vítimas de assédio.

A vítima descreveu sua viagem como uma situação típica na qual o ônibus estava lotado no horário da manhã. Ela permaneceu em pé durante boa parte do trajeto até que uma cadeira na última fileira do ônibus ficou vaga na altura do Palato (Farol). A jovem decidiu se sentar, aproveitando a oportunidade para descansar.

A virada na história ocorreu quando o ônibus chegou ao Mercado da Produção e muitos passageiros desembarcaram, deixando o veículo com poucos ocupantes. A vítima, que estava tranquila em seu assento, continuou concentrada em seu celular, até que um homem identificado como Edson entrou no ônibus e sentou-se ao lado da jovem.

O relato da vítima detalha um momento de horror quando ela, distraída no celular, sentiu uma mão deslizar por sua bunda, realizando um ato de apalpação. Com reação imediata, a jovem levantou a cabeça e, com um grito, ordenou que o agressor retirasse a mão de seu corpo. Ela se levantou abruptamente, segurando sua bolsa em uma mão e o celular na outra.

A parte mais surpreendente dessa narrativa é a falta de reação do agressor. Ele simplesmente retirou a mão e evitou fazer qualquer movimento brusco. O ônibus, com poucos passageiros, não ofereceu testemunhas ao incidente, e o barulho do trânsito impediu que os demais passageiros ouvissem o grito da vítima.

O agressor desceu do ônibus pouco depois do incidente, tudo em questão de minutos. A vítima acredita que o assédio ocorreu entre as paradas do Unicompra, rua Cabo Reis e a UPA do Trapiche. Ela ficou paralisada e confusa com a situação, sem conseguir alertar o motorista ou obter ajuda de outros passageiros.

A vítima passou o dia remoendo a experiência traumática, sendo agravada por lembranças de um incidente semelhante de assédio em um ônibus ocorrido no ano anterior, desta vez, com outro homem. No entanto, não considerou fazer uma denúncia oficial, pois não havia testemunhas e não conseguiu registrar evidências em vídeo ou áudio.

No entanto, uma reviravolta surpreendente aconteceu na manhã seguinte, quando a vítima se deparou com uma postagem no Instagram relacionada ao agressor Edson, que havia sido compartilhada na página de humor. A moça nunca tinha visto o homem, e só o reconheceu através da postagem feita nas redes sociais.

Nota da equipe do "Dançarino"

Em resposta à decisão da página de humor, o empresário PTK divulgou uma declaração em sua própria conta no Instagram, enfatizando que Edson é uma pessoa com necessidades especiais e que as alegações de assédio feitas contra ele são desprovidas de provas concretas. PTK argumentou que acredita que essas acusações são parte de uma campanha difamatória com o objetivo de prejudicar a reputação de Edson e obstruir as oportunidades que ele conquistou em um curto espaço de tempo. Confira um trecho da nota:

"Em virtude dos recentes questionamentos sobre a conduta de nosso contratado Edson dançarino, esclarecemos que se trata de pessoa com necessidades especiais e que as declarações contra ele são inverídicas e carecem de prova. Entendemos que se trata de uma campanha difamatória com o único intuito de destruir a reputação do nosso contratado e tirar as oportunidades que a fama em pouco tempo lhe deu".

Além da declaração escrita, PTK compartilhou um vídeo em seus stories, onde condenou fortemente qualquer forma de violência ou abuso, independentemente do gênero da vítima. Ele reconheceu a sensibilidade da situação e afirmou que, se houver evidências sólidas das acusações, tomará medidas para assegurar que Edson receba o tratamento apropriado devido aos seus problemas psiquiátricos.

Nota da página de humor

Diante do relato da vítima, a página de humor se pronunciou por meio de uma nota de esclarecimento dizendo: "a equipe do Maceió Ordinário comunica que, a partir de hoje (20/09), não irá mais veicular nenhum tipo de conteúdo do conhecido como "dançarino"; por conta das denúncias enviadas pelas nossas seguidoras".

Na postagem, vários internautas relataram: "mais uma vítima de um cara engraçado que todo mundo acha lindo"; "não duvido nada colocarem ele pra se candidatar a vereador", outro disse: "o rapaz é imputável. É importante que isso seja dito. Inclusive recebe benefício do INSS por causa disso"; "eu quem diga, ele já me ameaçou com uma pedra, eu sinceramente não entendo as pessoas dão credibilidade pra um ser humano desse", outro expôs: "ele sempre foi assim, sempre assediou mulheres e dando uma de "doido", taca pedra nos outros e infelizmente as pessoas veem graça e deram "fama" a isso, ele deveria ser internado".

Comunicar erro
Estado 02

Comentários