Governo 01

PF descobre plano do PCC para matar Sergio Moro e promotor Lincoln Gakiya

Moro agradeceu as forças policiais pelo Twitter. De acordo com as investigações da PF, os ataques poderiam ocorrer de forma simultânea

Por Metrópoles em 22/03/2023 às 09:16:33

Em megaoperação deflagrada na manhã desta quarta-feira (22/3), a Polícia Federal foi às ruas para prender integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), uma das maiores facções do país. Os criminosos, segundo as investigações, pretendiam sequestrar e matar o senador Sergio Moro (União Brasil-PR) e o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, que integra o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo (Gaeco) e é o principal investigador da facção criminosa no país.

Segundo o colunista Guilherme Amado, do Metrópoles, os criminosos também pretendiam matar a mulher de Moro, Rosangela, e os filhos do casal.

Em 2018, o promotor Lincoln Gakiya pediu a transfer√™ncia de Marcola de São Paulo para um presídio federal. No início do ano seguinte, o chefe do PCC foi levado para a Penitenci√°ria Federal de Brasília.

No chamado pacote anticrime, Moro propôs, dentre outras medidas, a vedação da visita íntima e o monitoramento dos contatos dos presos, inclusive com os seus advogados, em presídios federais.

No Twitter, o senador agradeceu "a PF, PM/PR, Polícias legislativas do Senado e da C√Ęmara, PM/SP, MPE/SP, e aos seus dirigentes pelo apoio e trabalho realizado". Ele acrescentou que falar√° sobre o assunto à tarde, na tribuna do Senado.


Investigação começou pelo MP de SP

Os planos de ataque foram descobertos pelo Ministério Público de São Paulo, que compartilhou as informações com a Polícia Federal.

De acordo com as investigações, o sequestro e a morte de Moro e de outras autoridades seriam feitos para obter dinheiro e conseguir o resgate de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder do PCC.

De acordo com as dilig√™ncias da PF, os ataques poderiam ocorrer de forma simult√Ęnea, e os principais investigados se encontravam nos estados de São Paulo e Paran√°.

O grupo do PCC respons√°vel pela operação seria a Sintonia Restrita, que é uma espécie de "setor de intelig√™ncia", com uma ampla rede de criminosos.

Cerca de 120 policiais federais cumpriam 24 mandados de busca e apreensão, sete de prisão preventiva e quatro de prisão tempor√°ria em Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo e Paran√°.

Carro de luxo na casa de um dos alvosPF/Divulgação
Polícia Federal faz operação nesta quarta-feira (22/3) contra PCC, que pretendia matar ex-juiz e senador Sergio Moro

Comunicar erro

Coment√°rios