Comércio físico registra queda em julho após duas altas consecultivas

Por Henrique Dias em 17/08/2022 às 07:26:45

As vendas do comércio físico caíram no mês de julho após duas altas consecutivas, com 2,1% em maio e 2,4% em junho. É o que revela uma pesquisa da Serasa Experian. A baixa se deu principalmente pelos setores de tecidos, vestuários, calçados e acessórios, como explica o economista da Se Luiz Rabi. “Esta queda interrompeu dois meses consecutivos de altas, nos meses de maio e junho, já que naqueles meses nós tivemos alguns efeitos positivos sobre o varejo oriundos da antecipação do pagamento do 13º salário dos aposentados e pensionistas e também dos fatos especiais do fundo de garantia. Julho não contou com esses fatores e, por isso, a atividade varejista acabou recuando”, pontuou. Outros setores menos afetados foram os de móveis, eletrodomésticos, eletroeletrônicos e informática. Os combustíveis também não tiveram queda. Porém, na contramão, supermercados, alimentos e bebidas registraram um crescimento de 1,4%, mesmo com os preços altos dos últimos tempos. Os saques do fundo de garantia e a antecipação do 13º salário esquentaram o cenário econômico nos últimos meses, como mostra a pesquisa da Serasa, mas o economista Luiz Rabi avalia que o momento econômico ainda é de muita instabilidade, tanto para empreendedores quanto para consumidores.

*Com informações da repórter Marina Harriz

Fonte: Banda B

Comunicar erro

Comentários