19/01/2022 (82) 98122-3473

Economia

Governo 01

Dólar e juros futuros operam em alta com política do Fed no radar

Por Henrique Dias 14/01/2022 às 10:39:04
Investidores também acompanham dados econômicos brasileiros O resultado acima do esperado das vendas do comércio varejista em novembro ajuda a dar suporte aos juros futuros no pregão desta sexta-feira. Além disso, as discussões sobre os rumos da política monetária nos Estados Unidos continuam no radar dos agentes do mercado e, com o avanço dos rendimentos dos Treasuries, também o dólar e os juros de longo prazo se ajustem em alta.

Por volta de 10h30, o dólar era negociado a R$ 5,5323 no mercado à vista, em alta de 0,08%. No mesmo horário, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2023 subia de 11,93% no ajuste anterior para 11,935%; a do DI para janeiro de 2024 avançava de 11,57% para 11,645%; a do contrato para janeiro de 2025 ia de 11,18% para 11,24%; e a do DI para janeiro de 2027 passava de 11,14% para 11,17%.

Após a surpresa observada no dia anterior com o desempenho do setor de serviços em novembro, hoje o resultado positivo veio das vendas no varejo restrito, que subiram 0,6% no mês, acima das previsões de estabilidade do mercado. Para o economista César Garritano, da Renascença, a leitura pode ser considerada favorável “não só pelo resultado atual ter vindo acima das expectativas do mercado, como também em virtude de os dados de outubro terem sido revisados para cima”. Os dados, assim, possibilitam um novo dia de ajuste de leve alta na parte curta da curva de juros.

No câmbio e nos vértices intermediários e longos da curva, porém, o que predomina é o fator externo, onde as discussões sobre a política do Federal Reserve (Fed) continuam no radar dos agentes do mercado. Hoje, será a vez do presidente da distrital de Nova York do banco central americano, John Williams, discursar. Antes disso, porém, indicadores da economia americana devem ser acompanhados de perto pelos agentes do mercado e podem ajudar a calibrar as apostas quanto ao rumo dos juros, em especial as vendas no varejo e o índice de sentimento do consumidor.

“Hoje é o último dia em que o Fed pode enviar qualquer sinal antes da reunião de janeiro, já que o período de silêncio começa amanhã. Com o Fed sinalizando um suporte crescente para uma alta de juros em março e o início da redução do balanço no fim deste ano, não temos certeza de que ouviremos novos sinais significativos do Fed hoje”, dizem os analistas do Danske Bank, no momento em que os dirigentes começam a migrar para um cenário de quatro elevações de juros no ano.

Pixabay

Fonte: Valor Invest

Comunicar erro
Comentários