20/06/2020 às 13h28min - Atualizada em 20/06/2020 às 13h28min

McDonald's: para frear queda, 95% dos restaurantes no mundo voltam a operar

Clare Duffy, do CNN Business, em Nova York
https://www.cnnbrasil.com.br



O McDonald's disse que seus negócios estão começando a melhorar após vários meses de queda nas vendas causadas pela pandemia de coronavírus.

A empresa informou na terça-feira (16) que 95% de seus restaurantes no mundo todo já reabriram agora de alguma forma, de acordo com documentos enviados à SEC. Isso inclui 90% dos restaurantes McDonald's (MCD) nos mercados internacionais que estão abertos agora, em comparação com 45% em 30 de abril. Cerca de 99% dos restaurantes americanos continuaram o funcionamento de alguns serviços durante a pandemia.

A companhia também afirmou que o grande número de seus restaurantes drive-thru, bem como os investimentos para apoio a proprietários de franquias, ajudaram a enfrentar a crise. Serviços de delivery e marketing adicional também ajudaram.

As medidas que estamos tomando em resposta à pandemia e para acelerar a recuperação, enquanto continuamos a servir o conhecido e excelente sabor de uma refeição do McDonald's, nos colocarão em uma posição favorável para a próxima fase desta crise", afirmou Chris Kempczinski, CEO da McDonald's, nos documentos à SEC, que visam atualizar os investidores sobre os negócios da empresa em meio à pandemia entre os relatórios financeiros trimestrais.

As vendas nos EUA caíram 19% durante o mês de abril, se comparado ao mesmo período do ano anterior, mas apenas 5% em relação ao ano anterior em maio, informou o McDonald's nos documentos. Nos mercados internacionais da empresa, as vendas despencaram quase 67% em relação ao ano anterior em abril e 41% em maio.

Esses números incluem vendas em todos os estabelecimentos McDonald's em funcionamento há pelo menos 13 meses, mesmo que os restaurantes tenham sido temporariamente fechados durante a pandemia.

O McDonald's disse ainda que as vendas nos EUA e o número de clientes foram especialmente baixos no horário do café da manhã, algo que os executivos lamentaram no call trimestral sobre rendimentos da empresa no início de maio. O café da manhã era uma refeição cada vez mais competitiva e muitas empresas de fast-food, incluindo o McDonald's, haviam investido em novas ofertas de café da manhã antes do surto do coronavírus.

No entanto, nos EUA, a empresa disse que os serviços de drive-thru, delivery ou  de retirada no restaurante, com um cardápio limitado, continuaram em quase todos os seus restaurantes desde março. Mais recentemente, mais de 1.000 restaurantes nos EUA reabriram seus salões com capacidade reduzida de assentos.

Apenas cerca de 100 restaurantes nos EUA permanecem fechados, o que, de acordo com empresa, se deve em grande parte às suas localizações específicas, como em shopping centers que estão fechados no momento.

Nos mercados internacionais da empresa, as vendas durante abril e maio foram duramente impactadas pelo fechamento temporário de restaurantes no Reino Unido e na França e, em menor intensidade, na Espanha e na Itália. Restaurantes nesses quatro países começaram a reabrir para funcionamento restrito ao longo de maio e junho.

Mas o McDonald's disse que, nos mercados internacionais que permaneceram abertos, "as tendências de vendas continuaram a melhorar em maio".

A companhia reiterou nos documentos alguns esforços anunciados anteriormente para ajudar a acelerar sua recuperação da pandemia, incluindo o adiamento de alguns pagamentos de aluguel e royalties a proprietários de franquias e um investimento de US$ 200 milhões em publicidade adicional. 

No mês passado, a empresa também divulgou um manual de 59 páginas para operadores de franquia sobre como reabrir com segurança, descrevendo os requisitos mínimos de saneamento e de distanciamento social que cada um deve atender antes de permitir a entrada de clientes a seus restaurantes. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »