Juros longos fecham em queda com exterior e inclinação da curva cai

Juros longos fecham em queda com exterior e inclinação da curva cai
A taxa do DI para janeiro de 2022 subiu a 3,43% e a do DI para janeiro de 2027 recuou de 7,83% para 7,74% O ambiente externo mais favorável a ativos de risco proporcionou uma queda firme às taxas de longo prazo nesta terça-feira (24) e deu algum alívio à curva de juros, que, depois de alguns dias de estresse, perdeu um pouco de inclinação.

Nos vértices de curto prazo, porém, o tom positivo dos negócios no exterior não foi suficiente para deixar em segundo plano o resultado acima do esperado do IPCA-15 de novembro, o que voltou a gerar debate sobre as pressões inflacionárias no curto prazo.

No fim da sessão regular, ás 16h, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 subiu de 3,42% no ajuste anterior para 3,43% e a do DI para janeiro de 2023 passou de 5,24% para 5,22%.

Já a taxa do contrato para janeiro de 2025 caiu de 7,06% para 7,00% e a do DI para janeiro de 2027 recuou de 7,83% para 7,74%.