12/06/2020 às 18h26min - Atualizada em 12/06/2020 às 18h16min

Feliz dia dos namorados, de Valentim á Dória.

Neto Feitosa
   


     



   




   
Chegou o grande dia. O dia em que corações apaixonados aguardam a lembrança daqueles a quem suas vidas não fariam tanto sentido se elas não existissem ou deixassem de fazer parte do seu universo. O dia dos namorados é uma data não oficial que de certa forma tem ganhado espaço a cada ano não só no mercado econômico mas também na agenda de um crescente número de pessoas gregórianamente sentimentais e românticas.
   A tradição diz que nesse dia a troca de presentes, bombons e cartões de mensagens românticas são demonstrações de carinho e amor entre os namorados ou pessoas que se amam. Nós brasileiros comemoramos no dia 12 de junho, sendo que os americanos comemoram em fevereiro dia 14. 
     Nos EUA essa comemoração ocorre no dia 14 de fevereiro em homenagem a São Valentim que foi decapitado no ano de 270 a mando do Imperador Claudio II. São Valentim, na época Bispo, recebeu ordens do Imperador para não mais realizar casamentos. 
     O imperador tinha interesses militares em relação aos homens daquele tempo e o casamento atrapalharia seus planos. No entanto, o líder religioso não cumpriu a determinação e continuou celebrando matrimônios de forma secreta. Descoberto, isso o levou a cadeia. Em sua cela recebia diáriamente bilhetes de pessoas apaixonadas que destacavam o valor do amor entre duas pessoas. Inclusive, uma das que tinha o Bispo em alta estima era a joven Artérias filha do carcereiro, que era cega e foi curada milagrosamente pelo bispo.
    No Brasil a história tem uma semelhança em relação ao Santo Bispo, mais na prática sua trajetória é muito diferente e um tanto inusitada. Na cultura brasileira o nosso Valentim é o Santo Antônio. Famoso por ser o Santo casamenteiro tem sua homenagem no caléndário marcado no dia 13 de junho. E é aí que as diferenças começam. 
      O dia dos namorados tem em sua origem brasileira uma jogada de marketing. E advinham só quem foi o cara da genial idéia de instituir o dia dos namorados a brasileira um dia antes do dia do santo casamenteiro? É aí que entra o inusitado. Um soterapolitano de nome familiar. José Agripino da Costa Dória Neto, pai de João Dória Júnior, atual prefeito de São Paulo. 
     Dória "pai", que na década de 40 era presidente da empresa de publicidade e propaganda da época, representava uma loja conceituada de nome "Exposição Clíper". Percebendo que no mês de junho não tinha feriado que destacasse as vendas, o bom baiano criou o slogan "não só de beijos que se prova o amor". A mensagem tinha o prpósito de alavancar as vendas. Com essa investida comercial, a agência ganhou um prêmio condecorativo e a data até hoje pegou. 
     Voltando a idéia dos dia dos namorados como um momento de manifestação dos sentimentos, vale lembrar que nos EUA essa data tem uma meneira peculiar de comemorar. O dia dos namorados lá é aproveitado como momento de manifestação do amor, da paixão, do carinho, da união e da satisfação da companhia. Comumente observa-se entre os americanos trocas de presentes e de afeto entre namorados, casais, amigos, familiares, vizinhos e etc. 
     Mais do que um momento de gastança e de transportar os sentimentos para alguém na figura de um bombom, uma carta ou um objeto, é importante sempre avaliar o quanto aquela pessoa é valiosa pra você. Aproveite esse dia para de fato saborear o que aquela pessoa tem de tão bom que te faz bem. Não deixe essa data ser apenas um dia. Seja com a dedicação de São Valentim ou com a criatividade de Agripino Dória, que o dia dos namorados seja o dia da verdadeira manifestação do amor entre dois corações.
Link
Neto Feitosa

Neto Feitosa

Radialista Esportivo

Relacionadas »
Comentários »